Aprender idiomas como qualquer coisa nova pode ser complicado no início, mas é preciso ter paciência (fundamental) para que o nosso cérebro assimile a nova informação aos poucos. Isso ocorre principalmente ao aprendermos uma nova matéria de determinada disciplina, assim como durante o aprendizado de um novo idioma. Pode ser frustrante para algumas pessoas, que têm maior dificuldade em reter o que aprendeu, mas com dedicação é possível vencer esse desafio!

Você sabe como o cérebro aprende? Segundo a professora de Neurociência e Educação da UNESA, Marta Pires Relvas, sozinho o cérebro não tem função. Ele só funciona em conjunto com outros sistemas que se interconectam, respondem e recebem estímulos necessários para a realização de um potencial de atividades químicas e elétricas. A maneira de aprender tem relação com o recebimento de estímulos captados por nossos sentidos (canais sensoriais). As informações (visão, som, tato, olfato, gustação) chegam ao tálamo, que os reenvia para áreas específicas responsáveis pela elaboração, associação e decodificação dessas informações. O tálamo, junto com o hipotálamo, o hipocampo e as amígdalas cerebrais promovem lembranças e aprendizagem.

aprender idiomas

E quais são os maiores desafios na hora de aprender um idioma?

Falta de atenção

Isso é um empecilho, principalmente, para quem aprende um novo idioma sozinho. A solução para esse caso é uma escola de idiomas, como por exemplo, a PBF Guarulhos, escola que oferece Inglês e Espanhol para crianças, adolescentes e adultos. Para aprimorar ainda mais seus estudos, revise em casa o conteúdo estudado em sala de aula.

Escrita

Muitas pessoas reclamam que é difícil escrever em inglês, mas a prática traz bons resultados. Assim como algumas pessoas precisam praticar para melhorar a caligrafia em sua língua mãe, é necessário também praticar a escrita do idioma que você está aprendendo.

Pronúncia

Muitas vezes ao aprender idiomas a pessoa sabe o significado da palavra, sabe escrevê-la, mas na hora da pronúncia… problemas à vista! Assim como a escrita, é preciso também praticar a pronúncia. Como fazer isso?  Mergulhando de cabeça no novo idioma. Por exemplo, assista a filmes legendados e ouça músicas na língua que você está aprendendo. A maioria dos estudantes acha difícil a pronúncia porque se preocupa em apenas ouvir em inglês e se esquece de repetir o que ouve. A fluência só é adquirida com a prática.

Tempo

É comum encontrar alunos que estudam apenas enquanto estão em sala de aula – a maioria por falta de tempo. E com a falta de tempo, eles não veem resultado nos estudos e acabam abandonando o curso. O ideal é estudar, pelo menos, de 10 a 30 minutos por dia.

Interesse

É um dos principais empecilhos na hora de aprender um novo idioma. De nada adianta pagar um curso caro e comprar vários livros interessantes se você não tem motivação ou interesse no aprendizado.

Queremos saber de você: quais os maiores desafios na hora de aprender um novo idioma? Compartilhe conosco. Leia também este artigo e entenda como a mente dos poliglotas funcionam.

  1. […] deixar viver” nos Bálcãs, entre elas cerca de 2.500 brasileiros. Nem todos os interessados na cidadania terão um lugar garantido no país sem impostos de Jedlicka. Além de ter que preencher os […]

Comentários estão fechados.